Uma história que o GV ajudou a construir

Sou apaixonado pela riqueza de conhecer gente que faz! Pessoas que, do nada, chegam a tudo. Que são capazes de inverter a narrativa da própria vida e se tornarem exemplos utilizando seu potencial de colocar ideias de pé.

eduardo lyra

Na lista de pessoas incríveis que conheci está Flávio Augusto da Silva. À época, eu estava no início da minha trajetória profissional. Tinha 23 anos e muita vontade, mas pouco dinheiro e conhecimento. Carregava uma ideia, mas não sabia ao certo como fazer para torná-la realidade.

Quando soube que Flávio me atenderia, fiquei nervoso e ansioso.  Eu já conhecia sua história de empreendedor matador.  Acompanhava as lições que ele transmitia pelo Geração de Valor, no Facebook, porém não sabia se sua vida dialogava com seus posts.

Mas quando a porta do elevador se abriu e ele veio me receber no hall de um hotel, na região central de São Paulo, me deparei com um líder carismático e ao mesmo tempo humilde, que inspirava, inclusive, pelo seu olhar.

Aquele foi um dos encontros mais marcantes que tive na minha vida. De uma forma mágica, Flávio se fez de pequeno e conseguiu me colocar na posição de alguém grande, muito grande, e que podia, segundo ele, mudar o Brasil para melhor através do empreendedorismo social.

Ele narrou sua história, de quem nasceu numa periferia do Rio de Janeiro, estudou boa parte da vida em escola pública e, aos 23 anos, decidiu fundar uma empresa que se tornou referência no ensino de idiomas, a Wise Up, presente em diversos países, com milhares de funcionários, para me inspirar, para mexer comigo e me lançar a um novo patamar de crença.

Lembro-me de uma frase poderosa que ele disse: “Edu, eu nunca tive oportunidades, nem recursos, mas não usei isso como desculpas para o fracasso. Eu fiz meu próprio futuro”. Eu vibrava por dentro. Sentia vontade de voar pela janela. “Se eu consegui, você também consegue. Todos podem. Isso basta”, disse ele.

Flávio usou sua imensa habilidade interpessoal para dizer que a melhor decisão era sair fugido do caminho mais fácil, porque estava engarrafado. Ele me disse que seguir na direção que todos caminham é insucesso na certa. Convidou-me a fazer o oposto. Rumar na contramão e tentar maior, o grande. Eu decidi viver cada palavra. Apenas ouvir não funciona. Gênio é aquele que aprende e implanta no próximo segundo.

VEJA TAMBÉM

GV #10 – Gerando Falcões

Hoje, aos 26 anos, carrego uma história de quem nasceu numa favela, teve o pai envolvido com o tráfico e o crime, mas jamais se deixou influenciar. Entrei numa faculdade e estudei jornalismo, me tornei autor do livro “Jovens Falcões” e co-roteirista de um longa-metragem que será lançado neste ano, dirigido pelo cineasta Fernando Grostein Andrade.

Fui considerado repórter revelação pelo Instituto Itaú Cultural. Fundei o Instituto Gerando Falcões, que atua em comunidades inspirando jovens ao sonho de serem grandes. Em 2 anos, já alcançamos mais de 200 mil estudantes por meio do hip hop, dança de rua, teatro e palestras de alto impacto. Em função desse trabalho, fui eleito pelo Fórum Econômico Mundial um dos 15 jovens brasileiros que podem mudar o mundo.

Semanalmente, sou convidado a ministrar palestras em empresas de ponta, tais como Itaú, Bradesco, Porto Seguros, BRF e outras, para contar minha história de quem não aceitou o que estava posto como possibilidade, mas acreditou e reinventou a própria história.

Flávio é uma metralhadora. Tem bala na agulha. É um falcão de altos voos. Ele é, indiscutivelmente, exemplo para a minha geração. Tem me influenciado a aumentar a pegada das buscas e mexido com milhares de jovens no Brasil.

Ele perturba. Te arranca do lugar. Fala coisas que doem. Às vezes, é uma tapa na cara. Mas, esse tapa é com amor. Depois de entrar para a lista de quem chegou ao primeiro bilhão de reais, ele podia se fechar, mas decidiu se abrir e ensinar o caminho. Seus posts dialogam com sua vida.

Aqui está uma grande lição. Quanto mais você doa, mais você recebe. O Brasil precisa de líderes que entreguem tempo, energia e compartilhem seus ideais de vida com jovens. Assim, mais Edus podem emergir da favela e voar para o mundo.

O GV me ajudou a ser falcão.

Eduardo Lyraé empreendedor social.  

 

Comentários

comentários