Mude seu mundo primeiro

O mundo ensinou a pensar de um jeito. Já parou para pensar até onde este jeito vai levar você? Uns dizem: “deixa a vida me levar…” Para onde? Outros afirmam que não têm escolhas. Nesta hipótese, nada poderia ser feito… Alguns entendem a importância de reconstruírem sua maneira de pensar e decidiram fazer uma faxina cerebral, tirando todo lixo depositado em seu HD ao longo dos anos.

A boa notícia é que, quando pesquisamos a forma de pensar das pessoas que alcançaram o topo de forma honesta, chegamos à conclusão de que existe um padrão de pensamento e de comportamento entre elas. Elas não se conhecem, algumas nunca se falaram. No entanto, têm comportamentos similares e, muitas vezes, repetem as mesmas frases e convicções.

Será uma coincidência?

Isso significa que os resultados conquistados honestamente não são aleatórios ou resultados de uma sorte que vem do além. Existe uma lógica que, inclusive, pode ser aprendida e replicada.

Admitir essa realidade não é tão fácil, pois seria o mesmo que admitir que não somos mais vítimas e que, logo, não temos falta de sorte e não somos condenados a sermos mais um na multidão, porque nascemos ou vivemos num meio repleto de negatividades. Sim, o meio influencia, mas ele não determina. Seu destino sempre estará em suas mãos, ainda que custe muito trabalho e muita superação.

Depois de mais de 24 anos treinando e formando executivos e empreendedores, depois de tudo que vi e vivi, de acordo com os resultados que pessoalmente atingi, testemunhei muitas pessoas vencendo e fracassando sob minha liderança. Durante essa experiência, entendi muitas dessas razões para esses fracassos e, por isso, afirmo com legitimidade que existe como alguém ser treinado para ter sucesso em qualquer área, deixando de lado padrões implantados pela sociedade ao longo de sua vida.

Sobre os fracassos, o que aprendi? Sim, eles também não são por acaso. E quase sempre as razões para fracassar também se repetem e não são aleatórias.

Pode parecer simples, mas não é. Assumir que podemos aprender é uma espécie de confissão de que não sabemos. É um atestado de humildade para admitirmos que somos ignorantes neste ou naquele assunto para ao mesmo tempo assumirmos que somos os únicos responsáveis pelos nossos resultados, tendo sido eles bons ou ruins.

Ah, como é difícil deixar o orgulho de lado… Afinal, é muito mais fácil querer se esconder por trás de uma montanha de justificativas ou em teses que tirem de nossas costas o peso da responsabilidade. Muito mais fácil culpar o mundo, a família, o governo, o sistema, a sociedade, o capitalismo, o socialismo ou seja lá quem for e o que for.

No entanto, alguns mais intrigados, mais perspicazes, não se conformam com a realidade em que vivem e nem com as tendências das estatísticas e, por isso, querem ser os que vão contrariar, hackear e subverter essa lógica que impede que muitos vivam suas vidas desfrutando do máximo de seu potencial. Muitos, mas infelizmente uma minoria corajosa e sobrevivente à jornada da vida em que muitos optaram por desistir e duvidar de que esse lugar ao sol realmente existe.

Não tenho a pretensão de que você acredite nisso e tampouco tenho algo milagroso para lhe dizer, como uma espécie de fórmula mágica. A única coisa que afirmo, que é o que me mantém aqui, trabalhando voluntariamente nos últimos quatro anos, é que eu sei que você é capaz de muito mais, mesmo que tenha desistido de acreditar nisso. Não me iludo em acreditar que essas ideias sejam abraçadas por grandes massas. Afinal, contrariar o fluxo dessas massas é somente para pessoas corajosas. É muito mais fácil seguir a boiada, porque dá muito menos trabalho.

Minha expectativa é que algum maluco do outro lado da tela do computador do celular ou tablete (não serão muitos) seja profundamente tocado por essas ideias e que isso possa desencadear, como aconteceu um dia comigo e muitos outros, uma série de decisões e atitudes que vão transformar sua vida, de sua família e de outros que serão sustentados e encorajados por seus resultados e por sua rara convicção.

Como sempre disse, se apenas uma única pessoa viver essa transformação, todo o meu trabalho já terá valido a pena. Depois de quatro anos, já deu para detectar uma pequena multidão de loucos que passaram a moldar sua mentalidade com a ajuda de nosso conteúdo e, dentre outras razões, revolucionaram seus resultados. Então, já estou no lucro.

Pense fora da caixa.

Comentários

comentários