A importância da comunicação em família

Muitas são as maneiras de nos comunicarmos com as outras pessoas. Há aqueles que se expressam muito bem falando, outros que preferem escrever, alguns falam com os olhos e ainda outros com expressões e sons que dizem tudo. Ao nos relacionarmos intimamente com alguém, ganhamos a prática de decifrar seus pensamentos apenas olhando suas expressões corporais e faciais. É incrível! Mas, apesar de podermos desenvolver este talento, nada substitui uma comunicação clara e sincera para termos certeza do que está acontecendo.

Mesmo bem intencionados, no nosso dia a dia existem muitos erros comuns que acabam se tornando armadilhas para nós e, ao cairmos nelas, colocamos em risco os nossos relacionamentos. Aqui vão alguns deles:

  1. Dar indireta e achar que a pessoa entendeu sua mensagem;
  2. Esperar que a pessoa perceba o que você está sentindo mesmo sem você ter falado;
  3. Ficar calado mesmo tendo muito a dizer;
  4. Falar tudo o que pensa de maneira irada, do tipo “Eu falo mesmo!”;
  5. Não ser verdadeiro sobre o que você pensa e sente por medo de magoar.

Esses erros são muito nocivos e podem acabar por afastar ao invés de aproximar. Eu mesma já cometi todos eles e ainda luto todos os dias para não ceder a eles.

Se você costuma ter um ou mais desses comportamentos, avalie-se! Que resultado a sua comunicação tem alcançado na sua família? Eles têm cooperado na construção ou na destruição dela? Não permita que a falta de habilidade de comunicação construa muros entre você e as pessoas com quem você se relaciona.

Lembre-se: uma comunicação eficiente é uma competência que pode e deve ser desenvolvida.

Comentários

comentários