Sobre a manifestação dos professores no Paraná

Nota zero para o governo do Paraná na condução da greve dos professores que redundou numa covarde repressão durante o confronto de ontem com os manifestantes. Vale lembrar que em protestos assim muitas vezes há grupos infiltrados, sindicalistas profissionais, pagos com diárias de até 45 reais, financiados por grupos com interesses político-ideológicos, para tumultuar o movimento, como vimos nas manifestações de 2014.

Há registros de pessoas na linha de frente dessa manifestação que tentaram invadir a Assembleia Legislativa, usando bombas de fabricação caseira. A polícia estava lá desde segunda-feira por determinação da Justiça para evitar que isso acontecesse.

Por outro lado, no campo político, a falta de habilidade do governo na condução desse processo, abrindo com competência canais para diálogo entre as partes, é flagrante. E o uso da força por parte da Polícia foi absolutamente desproporcional. Uma vergonha para a cidade de Curitiba, onde morei por sete anos e sempre tive grande admiração pelo seu nível de cidadania.

Já disse aqui: os políticos são empregados da população e não o contrário. O nível de desrespeito é inacreditável. Não importa qual seja o partido político. Respeitem a população!

O direito de se expressar e se manifestar é sagrado no Brasil, o que não inclui a depredação de patrimônio público, como esse mesmo movimento fez quando invadiu a Assembleia Legislativa recentemente. Para casos assim, a lei deve ser aplicada e a polícia deve usar a força, porém sem exageros.

Esse é o problema. Onde está essa fronteira? Eles estão preparados para isso? O governo abre canais suficientes para diálogo a fim de evitar esses confrontos de campo?

Não tenho as respostas. Tê-las é uma obrigação do governo. Tenho a minha avaliação pessoal: nota zero para o Governo do Paraná na condução desse problema. Espero que o governador Beto Richa, do PSDB, tenha humildade para reconhecer sua responsabilidade e abra diálogo com os professores.

Comentários

comentários