Prefira ser um pássaro livre

O estado do Rio Grande do Sul não tem dinheiro para pagar 85% de seus funcionários, incluindo trabalhadores da ativa, aposentados e pensionistas. Os salários deste mês estão agora sendo pagos em 3 parcelas, deixando, infelizmente, para os servidores uma enorme insegurança sobre os próximos pagamentos a receber e uma revolta demonstrada por muitos nas ruas de Porto Alegre. Lamento profundamente essa situação que envolve várias famílias que acreditaram estar seguras por serem ou terem sido empregadas do governo.

Quando falta o alpiste na gaiola, o pássaro preso não tem nada mais o que fazer a não ser lamentar-se por sua fome. Por outro lado, o pássaro livre tem a escolha de procurar por comida em qualquer lugar e para lá voa com suas próprias asas.

Sem querer ser repetitivo, estabilidade não existe.

Comentários

comentários