Não venda produtos, venda motivos

Venda o que as pessoas querem comprar. Se elas não quiserem, venda um bom motivo. Não entendeu? Ok, eu explico. Muitas vezes não basta vender o produto, mas sim o propósito para alguém comprar seu produto.

Por exemplo, não venda academia, venda saúde. Não venda curso de inglês, venda empregabilidade. Não venda cinema, venda entretenimento. Não venda simplesmente o produto, mas sim o porquê do produto e todos os seus benefícios na vida do cliente.

Essa lógica deve se refletir em toda a comunicação institucional de sua empresa.

Não basta vender o bife. Venda o cheiro do bife. Com água na boca, fica mais fácil…

Comentários

comentários