Este post é para as mulheres

Segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE, mesmo com uma baixíssima taxa de desemprego no país, cerca de 44% dos brasileiros ainda sonham em ter seu negócio próprio. Dos que realizam esse sonho, atualmente, 50% são mulheres. Um dado interessante que demonstra que as mulheres estão descobrindo seu potencial é que, há 10 anos, a participação delas não passava de 30% dos novos empreendedores.

Eu, particularmente, gosto muito de trabalhar com mulheres. De forma geral, elas são mais sensíveis, com mais jogo de cintura e apesar da TPM e suas responsabilidades com os filhos, têm uma enorme capacidade de se desdobrarem para darem conta do recado, conseguindo administrar várias coisas e pessoas diferentes ao mesmo tempo.

Na empresa que fundei e vendi recentemente para um grande grupo brasileiro, eu tinha três mulheres no alto escalão executivo que se reportavam diretamente a mim e que comandavam mais de 10 mil funcionários, dos quais a maioria também era do sexo feminino. Eu gostei tanto desse negócio de mulher, que já estou muito bem casado, há mais de 21 anos, com a minha primeira namorada.

A mulher está ganhando cada vez mais confiança e coragem para lidar com o risco em vez de buscar por proteção e segurança. Ela já percebeu, e o mercado também, que é capaz de competir de igual para igual e, em muitos casos, com larga vantagem sobre os homens.

Aquela imagem de “sex symbol” que a mídia sempre insiste em vender nas novelas e nos BBBs da vida, porque atrai a audiência masculina, tem sido abandonada por uma importante parcela das mulheres. Elas decidiram sair da posição de presas para assumirem o papel de protagonistas de suas próprias vidas.

Depois de décadas vendendo o estereótipo de mulher anoréxica, a ditadura cosmética passou a diversificar suas tendências e lançou novas medidas de busto e quadril cada vez mais avantajadas, produzindo em série verdadeiros Frankensteins que, entre músculos e silicones desproporcionais, sustentam o novo estereótipo de mulher objeto.

Infelizmente, esse papel é personificado por meia dúzia de mulheres que são expostas nos meios de comunicação, seguidas por centenas de milhares de outras e consumido por uma parcela relevante do público masculino que, em busca de seus brinquedos sexuais, acaba deixando de lado a verdadeira beleza feminina que está na sensibilidade, em curvas naturais, no olhar de menina e na coragem para viver a aventura da vida.

E quanto mais as mulheres se valorizarem, mais serão amadas, mais descobrirão seu potencial e mais conquistarão, em suas vidas, todos os setores. Conscientes desse valor e do poder que têm em suas mãos, elas vão seguir cada vez menos a boiada daquelas que logo se entregam, de forma desesperada, aos meninos que estão apenas em busca de um programinha relâmpago para depois descartá-las e trocá-las por outras desavisadas.

Mas, ao contrário disso, e de todas as decepções que existem em torno desse estilo de vida que só deteriora a autoestima, assumindo seu valor e pensando fora da caixinha, elas vão passar a atrair outro perfil, homens de verdade, que também serão parceiros de muitos sonhos, de grandes aventuras e incontáveis realizações.

Sou fã das mulheres e tenho a certeza de que o mundo está aí para ser conquistado por vocês!

Comentários

comentários