De quem é a culpa?

Se seu chefe não confia em você, pergunte-se: “Onde estou errando?” Que atitude ou falta de atitude deu espaço para que ele não confiasse em você?

Se a sua mulher não confia em você, pergunte-se: “Onde estou errando?” Que comportamento ou omissão deu a ela espaço para não confiar em você?
Se você não consegue realizar com sucesso seus projetos, pergunte-se: “Onde estou errando?” Se um conseguiu, é porque é possível.

Ainda que tudo lhe leve a crer que a culpa não é sua, pergunte-se: “Onde estou errando?” Aprenda em vez de buscar culpados.

De todas as alternativas que você tem em sua vida, em qualquer circunstância, a pior delas seria você decidir deliberadamente se sentir uma vítima, um coitado ou um injustiçado.

Se você entende e assume que você é responsável por todos os problemas que acontecem em sua vida, você também chegará à conclusão, por analogia, de que as soluções também estarão em suas mãos.

Você pode até não ser o culpado, mas sinta-se sempre o responsável. Coitados e injustiçados não chegam muito longe.

Comentários

comentários