Aprendendo a jogar

Uma meta de longo prazo, quando não se tem uma visão clara sobre o passo a passo necessário para alcançá-la, tem outro nome. Nesse caso, deveria ser chamada de ilusão de longo prazo.

Boas ideias e conhecimentos não executados são como um baú cheio de diamantes no fundo do oceano. Um tesouro valioso que passou a não valer nada.

Por isso, seu valor no mercado não é medido pelo conhecimento que tem, mas pelo que você foi capaz de fazer com ele.

No entanto, esse paradoxo é confrontado pelo fato de que seu valor não deve ser medido pelo que você tem, pelo que você faz ou pelo que você sabe. Seu valor é medido pelo que você é.

Mas observe que a maior evidência do que você é será o fato de você encontrar os meios para saber e fazer, e vai conquistar muitas coisas por consequência.

A partir desse momento, ganhará força e legitimidade em seus projetos e ideias. Isso significa que o maior desafio de sua vida sempre será o início, quando precisará provar com resultados o valor de suas ideias e o que elas foram capazes de produzir.

É justamente nessa fase que muitos não suportam a pressão, perdem-se em meio aos sucessivos fracassos e questionam valores que um dia os guiavam na direção certa.

A fila anda. As novas gerações chegam e o mundo gira. Hipócrita ou não, justa ou não, a sociedade nos impõe esse desafio de debutarmos e provarmos que não somos um a mais na multidão.

Aprender a jogar esse jogo faz toda a diferença. Infelizmente, nesse tabuleiro, a escola somente lhe ensinou a ser um peão, ou pior, a pensar como um peão. Alguns, mais inquietos, questionadores e corajosos, que estão dispostos a correr riscos, atrevem-se a realizar seus projetos e a seguir referenciais maiores e fora da curva média (mediocridade).

Esses não invejam as torres, rainhas e reis. Sentem-se como eles e têm humildade suficiente para aprender todos os seus movimentos.

 

Comentários

comentários